Autista, não: imigrante

No Japão, um aumento entre as crianças brasileiras e estrangeiras de outras nacionalidades consideradas como sendo portadoras de necessidades especiais tem, pelo menos, provocado uma preocupação e o dever de se investigar o que, de fato, acontece. Em São Paulo, uma matéria dessa semana provocou a mesma preocupação.

foto342-g

Entitulada de “Autista, não: imigrante”, a matéria do Estadão, que, mantendo as devidas proporções, retrata de forma semelhante a história de uma menina síria que vive em São Paulo. Você pode acessar a matéria completa clicando aqui. (é preciso ter cadastro no Estadão para ler o conteúdo).

 

Esse post foi publicado em Artigos e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s