Comunidade brasileira cresce no Japão

Apesar do crescimento a comunidade verde amarela não chegou a 200 mil residentes. Confira os números em relação às demais comunidades.

BN-HJ368_0312jw_P_20150312073647.jpg

Os aumentos de residentes estrangeiros são consideráveis, principalmente do Vietnã

O Ministério da Justiça divulgou na terça-feira (27) os números dos residentes estrangeiros no Japão, fechados em dezembro de 2017. O total é de 2.561.848, o que se traduz em aumento de 7,5% em relação a 2016.

Apesar do crescimento da comunidade verde amarela, de 5,8%, não chegou a 200 mil. Fechou o ano anterior com 191.362 pessoas, em 5.º lugar no ranking dos estrangeiros. A maioria possui visto permanente: 112.876 pessoas, o que representa 59%.

Antes da crise, em 2007 a comunidade brasileira viveu o auge em número de residentes: 313.771. A curva começou a decrescer no ano seguinte, com o Lehman Shock. Em 2012 o registro foi de 190.609 pessoas, chegando a 173.437 em 2015. Mesmo em meio à falta de mão de obra, o crescimento da comunidade verde amarela tem sido menor do que as demais.

Brasileiros em quinto lugar

As maiores comunidades são de pessoas vindas dos países da Ásia. Brasil e Estados Unidos são os únicos das 10 maiores, de outro continente.

  1. China:  730,890
  2. Coreia do Sul: 450.663
  3. Vietnã: 262.405
  4. Filipinas: 260.553
  5. Brasil: 191.362
  6. Nepal: 80.038
  7. Tailândia: 56.724
  8. Estados Unidos: 55.713
  9. Tailândia: 50.179
  10. Indonésia: 49.982

A população brasileira dentro do Japão representa 7,5%, bem aquém dos 28,5% dos chineses.

A comunidade que teve um crescimento notável foi a vietnamita, com 31.2%, por conta do aumento dos estagiários técnicos e estudantes.

As províncias com maior número de residentes estrangeiros são Tóquio, Aichi, Osaka e Kanagawa, pois são as que mais oferecem vagas de trabalho e também recebem estudantes.

grafico-2.jpg

Gráfico mostra os estrangeiros no Japão, por origem (MOJ)

Matéria originalmente publicada no site www.portalmie.com, para ler a matéria no site, clique aqui.

Este conteúdo é de autoria e responsabilidade dos autores.
Esse post foi publicado em Artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s