Só 4 em 10 estudantes da rede pública miram diploma universitário

Na rede privada, relação é de 7 para 10; dados são de um questionário de 2015

por Érica Fraga, da Folha

Apenas 4 em cada 10 alunos brasileiros de 15 ou 16 anos que frequentam escolas públicas esperam concluir um dia o ensino superior convencional —com, no mínimo, quatro anos de duração— ou uma pós-graduação. Entre os estudantes da rede privada, a relação salta para quase 7 em 10.

Esse retrato emerge dos questionários que os adolescentes do país preencheram ao realizar o último Pisa, teste internacional de aprendizagem, em 2015, segundo levantamento inédito do Iede (Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional).

Qual das seguintes etapas você espera completar?*

Artboard 1

*O levantamento foi realizado a partir de informações de 17.523 alunos de 15 ou 16 anos, representativos de todos os estados brasileiros, divididos da seguinte forma: 15.087 de escolas públicas e 2.346 de escolas privadas. Outros 527 são estudantes de escolas particulares, mas com nível socioeconômico similar ao dos alunos da rede pública **Cursos de graduação de, no mínimo, quatro anos de duração Fonte: Estudo feito pelo Iede (Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional) a partir de dados do Pisa referentes a 17.523 alunos de 15 ou 16 anos, representativos de todos os estados brasileiros.

Diferenças de oportunidades ao longo da infância e da adolescência levam os jovens brasileiros a desenvolverem níveis distintos de aspiração. Isso ajuda a criar um hiato de expectativas em relação à formação educacional.

Entre os alunos de escolas públicas, 38% se consideram ambiciosos. Nas particulares, o percentual sobe para 55%. As informações de 17.523 alunos colhidas pelo Iede na base de dados da OCDE (organização responsável pelo Pisa) mostram a cadeia de fatores que explicam esse quadro. O nível socioeconômico da família de uma criança costuma ter grande influência sobre seu futuro. Pesquisas mostram que a escolaridade dos pais é um dos determinantes da aprendizagem dos filhos.

Para ler a matéria completa, clique aqui.

 

Esse post foi publicado em Artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s